Inadimplência escolar e a volta às aulas

Inadimplência escolar e a volta às aulas

Jusivaldo (2)Por: Jusivaldo Almeida | Educador e Coach Financeiro e Previdenciário

A economia brasileira continua devagar, índices de desemprego em alta, e há muitos pais com dificuldades para pagar em dia a mensalidade escolar dos filhos. Levantamento do SPC – Serviço de Proteção ao Crédito deu o alerta: no ano passado, dobrou o número de famílias que não conseguiram honrar com o pagamento da escola dos filhos.  O índice de inadimplência de faculdades e escolas passou de 8% em 2014 para 19% em 2015. A JSANTOS Consultores – por meio do Programa de Educação Financeira “DINHEIRO E FUTURO” – conversou com o educador financeiro e vice-presidente da ABEFIN (Associação Brasileira dos Educadores Financeiros), Jusivaldo Almeida, que esclareceu as principais dúvidas dos pais sobre o assunto. Veja a seguir:

  1. A escola pode incluir o nome dos pais nas listas da Serasa ou do SPC?

Essa é uma questão polêmica. A Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, informou que ainda não há consenso sobre o assunto no Brasil.

  1. Os pais podem sofrer alguma sanção judicial?

Sim! Na legislação, a escola após 90 dias de atraso na mensalidade escolar pode entrar com sanções administrativas e cíveis, como ações de cobranças judiciais ou extrajudiciais.

 A escola pode recusar a rematrícula do aluno em condição de inadimplência?

Sim! Por isso, é muito importante que os pais nesta situação busquem um acordo diretamente com a direção da escola, mas lembrando sempre que o valor do acordo das mensalidades em atraso e as mensalidades normais do próximo período letivo deverão caber dentro do orçamento financeiro da família.

 A escola pode restringir as atividades pedagógicas do meu filho, por exemplo fazer provas?

Não! Todas as atividades estão protegidas enquanto os contratos estiverem em vigor.

 Tenho dificuldade de negociar com a escola, ela não me informa as taxas para negociação, só informa o valor das parcelas, devo aceitar o acordo?

Não! Os pais têm direito de pedir a planilha de cálculo do valor.

 Como negociar com a escola?

Para evitar constrangimentos futuros, faça um diagnóstico financeiro das suas contas para 2016, procure a direção, ofereça negociar valores que caibam em seu orçamento, peça descontos nas mensalidades futuras e não esqueça de propor como pagamento de dívidas trabalhar para escola onde ela estiver precisando.

 E se eu já estiver devendo e a escola propuser um reajuste nas mensalidades maior do que eu posso pagar?

Na impossibilidade de alcançar acordo favorável, resta negociar as mensalidades vencidas e migrar para outra escola.

 Na nova escola, o que devo considerar antes de matricular meus filhos?

Além de verificar a metodologia de ensino e o valor da mensalidade que caiba no orçamento, este ano você deve atentar para que já existem escolas adotando estratégias para reter, atrair e diminuir a inadimplência escolar. Podem, por exemplo, não reajustar mensalidade ou contratar seguros escolares, com cobertura prevendo a perda do emprego, acidentes e o óbito dos pais. Outro ponto é saber se a nova escola oferece programas de incentivo, como conceder descontos na mensalidade para pagamento em dia. Existem também aquelas que, em troca do pagamento pontual, entregam cupons para sorteio de prêmios que podem variar de uma mensalidade, taxas de rematrículas e prêmios ao final do ano.

 Em que situação devo pensar em levar meu filho para a escola pública?

Essa hora chega quando os pais, na tentativa de proteger e dar bom estudo aos filhos, começam a atrasar as mensalidades, fazem acordos e voltam a atrasar a mensalidade. Esses são sinais de que a família nesse momento não pode mais manter os filhos em escola privada. Outro sinal é quando o pai ou a mãe tenta dobrar sua carga de trabalho ou buscar mais um emprego para pagar a mensalidade escolar. Atente que pode não ser o fim do mundo, pois existem escolas públicas de alta qualidade, só que o acesso depende também do esforço do filho em ser aprovado num “vestibulinho”. Reflita se compensa pagar escola privada e até ficar doente ou tornar-se um pai ausente na vida dos filhos.

 Acredito que o melhor modo de combater a inadimplência escolar é tentando se antecipar e preveni-lo com um planejamento do orçamento no lar, começando pelo diagnóstico das contas, eliminando desperdícios, priorizando as contas dos sonhos e as contas essenciais de sobrevivência e bem-estar da família.

Acredite, nenhuma situação é tão ruim que você não possa mudar.

Boa sorte,

Jusivaldo

Contato do autor:

jusivaldo.almeida@jsantosconsultores.com.br

No Comments

Post A Comment